Fotos: Reprodução internet

saíba mais
09 de Outubro, 19:46

Exportações

Mato Grosso detém 7,1% das negociações do Brasil

 

 

A soja em grão é responsável por 56% dos negócios realizados em Mato Grosso

 

Sexto maior estado exportador do Brasil, Mato Grosso detém uma fatia de 7,1% nas exportações brasileiras que somam até setembro um volume de US$ 164,6 bilhões. Em nove meses, Mato Grosso negociou com o mercado externo US$ 11,6 bilhões, um aumento de 5,72% no comparativo com o período em 2016, mesmo havendo retração de 25,25% nos contratos com o milho.

A liderança das exportações brasileiras pertence a São Paulo, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), ligada ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Por São Paulo foram negociados US$ 37,9 bilhões. Já Minas Gerais é o vice-líder em exportações com U$ 19,1 bilhões, seguido do Rio de Janeiro com US$ 17,06 bilhões, Paraná com US$ 13,9 bilhões e do Rio Grande do Sul com US$ 13,24 bilhões.

Segundo o levantamento da Secretaria de Comércio Exterior, do governo federal, Mato Grosso registrou entre janeiro e setembro um superávit de US$ 10,5 bilhões. O resultado é a diferença entre as exportações de US$ 11,6 bilhões e as importações de US$ 1,1 bilhão.

A soja em grão, mesmo triturada, é responsável por 56% dos negócios realizados em Mato Grosso com o mercado externo somando US$ 6,58 bilhões, uma variação de 18,7% em relação a 2016. O farelo e resíduos da extração de óleo de soja representam 13% dos embarques com US$ 1,5 bilhão. O mesmo percentual de participação é verificado no milho em grão, que de janeiro a setembro somou US$ 1,5 bilhão, uma variação negativa de 25,3% ante o ano passado.

A carne bovina congelada, fresca ou resfriada possui uma fatia de 7% nos embarques e juntas somam US$ 814,7 milhões, um aumento de 23% em igual período em 2016, mesmo havendo em 2017 restrições comerciais causadas pela Operação Carne Fraca e abscessos em carne enviada aos Estados Unidos, provocados por vacinas.

Ainda de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior, o algodão somou US$ 398,7 milhões em negócios até setembro, uma retração de 19,8%. O produto detém uma fatia de 3,4% nos embarques mato-grossenses.

Dentre os produtos importados adubos ou fertilizantes contendo nitrogênio, fósforo e potássio somaram US$ 312,31 milhões, representando 27% do volume de produtos importados, 25,4% acima do verificado em 2016. Já o cloreto de potássio representa 40% das importações mato-grossenses com US$ 471,5 milhões, variação de 15,5% em relação ao verificado o ano passado no período.

 

Texto: Viviane Petroli/Mato Grosso Agro

Notícias relacionadas